top of page
  • Foto do escritorFabrício Girão

Mulan desaponta em estreia na China

Bilheteria do fim de semana ficou abaixo do esperado. Entre os live-actions de filmes da Renascença Disney, a estreia no país superou apenas a de Aladdin.

Divulgação/Walt Disney Studios

Em seu final de semana de estreia, entre a última sexta e hoje (13), o live-action Mulan arrecadou um total de US$ 23.2 milhões em bilheteria na China, número abaixo do esperado pela Disney e por analistas da indústria, que projetavam uma abertura na faixa dos US$ 30 a 40 milhões. Os cinemas chineses estão reabertos desde o final de julho, depois de 6 meses fechados por causa da pandemia de coronavírus.


Se comparado com as estreias dos outros remakes em live-action de filmes da Renascença, A Bela e a Fera (US$ 44 milhões), Aladdin (US$ 18 milhões) e O Rei Leão (US$ 54 milhões), a estreia de Mulan se saiu melhor apenas que a de Aladdin, e ainda assim, por pouco.


Com duas semanas de lançamento, Mulan está em cartaz nos cinemas de 17 territórios internacionais, países asiáticos, em sua maioria. Considerando a bilheteria de todos eles, o filme chegou a um total global de US$ 37.4 milhões. Vale lembrar que Mulan foi lançado também no Disney Plus, em países que já possuem o serviço, por um valor de US$ 30. A Disney não divulgou a receita obtida a partir da vendas do filme na plataforma.


O que esses números significam?


Para a Disney, a estreia morna na China decepciona, ainda mais considerando que o estúdio fez grandes mudanças na história do filme para agradar o público chinês, que não é muito fã da animação de 1998. Com o crescimento do mercado chinês e da importância do país para a bilheteria global de um filme, o estúdio apostava em um grande sucesso de Mulan por lá, o que, pelo menos nesse momento inicial, parece não se confirmar.


No Brasil, Mulan segue sem data de estreia confirmada. Não se sabe se a Disney irá lançar o filme nos cinemas ou no Disney Plus, marcado para chegar no Brasil em 17 de novembro.

Comments


bottom of page