top of page
  • Foto do escritorFabrício Girão

Abracadabra 2 equilibra homenagens e novidades em filme absurdamente divertido

As Irmãs Sanderson parecem nunca ter se separado e o trio de atrizes entrega performance cheia de energia em um dos maiores acertos do Disney Plus.

Divulgação/Disney Plus

Abracadabra tem uma história muito curiosa. Lançado aleatoriamente nos cinemas em julho de 1993, mesmo sendo claramente um filme de Halloween, o longa foi um fracasso de bilheteria e não foi muito bem recebido pela crítica. Fadado ao esquecimento, ele no entanto ganhou um status de clássico cult e uma legião de fãs por causa das várias reprises na TV, ano após ano, sempre no Halloween.


Quase 30 anos depois, Abracadabra 2 finalmente chega ao Disney Plus com a difícil missão de agradar um público que passou décadas adorando o filme original ao mesmo tempo em que deve apresentar as Irmãs Sanderson para uma nova geração. Nesse sentido, o novo filme cumpre essa tarefa com louvor ao saber dosar com equilíbrio as homenagens ao filme original com material inédito para sustentar a nova produção como algo diferente.



Abracadabra 2 tem Bette Midler, Kathy Najimy e Sarah Jessica Parker reprisando os papéis como as icônicas Irmãs Sanderson, Winifred, Mary e Sarah. Quando elas aparecem reunidas novamente na tela, a sensação é que nunca estiveram separadas, seja umas das outras ou das próprias personagens. O trio se entrega totalmente ao filme e a energia, o carisma, e a dinâmica entre elas é mais uma vez a melhor coisa da produção.


Muito da trama ecoa os acontecimentos do primeiro filme, com as bruxas de volta para aterrorizar Salem e com o relógio jogando novamente contra elas: ao amanhecer, voltarão a estar mortas. Mas a presença de novos personagens e revelações sobre a juventude das irmãs não só expandem a mitologia de Abracadabra, mas fazem da sequência uma ótima adição para a franquia.


Divulgação/Disney Plus

Diversão garantida


A melhor qualidade de Abracadabra 2 é que o filme é genuinamente engraçado e muito divertido do começo ao fim, assim como original. Muito disso se deve, como mencionado acima, à performance do trio principal, mas o roteiro também se destaca ao dar material às atrizes e ao brincar com diversas situações absurdas. Se antes elas se surpreenderam com as mudanças do mundo em 300 anos, em apenas 30 elas descobrem que ele se transformou ainda mais rápido.


Todas tem um timing cômico muito preciso, e a atuação é bem afiada na entrega das piadas e na construção do humor físico, mas a Mary Sanderson da Kathy Najimy é um absurdo de tão boa, com cada momento dela em cena rendendo uma gargalhada diferente. A Sarah da SJP continua intimidadora e encantadora na mesma medida e a Winifred da Bette Midler segue insuperável, já que ela domina com maestria os trejeitos exagerados da personagem. Nas mãos de outro trio de atrizes, talvez as Irmãs Sanderson não tivessem tanto de seu carisma.


Divulgação/Disney Plus

Novidades em Salem


Como o material de divulgação já confirmava, Abracadabra 2 dedica um pouco de seu tempo a mostrar o trio de bruxas ainda como jovens, no passado. Essa sequência de flashback é um dos melhores elementos do novo longa, já que dá às personagens mais camadas ao mesmo tempo que não diminui a construção delas como figuras vilanescas que devoram crianças para permanecerem jovens.


Já no presente, quem divide os holofotes com elas também é um trio: Becca, Izzy e Cassie, interpretadas por Whitney Peak, Belissa Escobedo e Lillia Buckingham. Elas apresentam um paralelo interessante com as bruxas (o qual não vou explorar muito aqui para evitar spoilers) e oscilam entre estarem curiosas com as possibilidades da magia e com medo das irmãs. Elas fazem o melhor, mas é muito díficil que não sejam ofuscadas pelas Sanderson, que chamam muito mais atenção em todos os momentos.



Sam Richardson, que interpreta o Gilbert, funciona como o público nesse filme. Ele representa uma geração que cresceu fascinada com a história das Irmãs Sanderson e desempenha um papel fundamental no retorno delas. O humor sincero dele oferece mais um personagem relacionável e a ingenuidade dele é um prato cheio para as bruxas, rendendo situações hilárias.


Tony Hale, no entanto, apesar de ser um nome bem estabelecido e respeitado no humor, não faz muito aqui. O personagem dele não é interessante o suficiente e a atuação é muito exagerada, o que em teoria deveria combinar com o tom mais caricato do filme, mas que acaba sendo apenas desinteressante. Hannah Waddingham por outro lado, domina a tela com sua participação.



Remake e sequência


Abracadabra 2 é um ótimo exemplo de como se fazer uma sequência de legado. Ao mesmo tempo em que o filme tem muito respeito pelo original e até repete algumas situações dele em nome da nostalgia (como o encantamento disfarçado de número musical), ele conta uma história envolvente e com novos elementos interessantes que justificam trazer as Irmãs Sanderson de volta do mundo dos mortos.


O filme sabe equilibrar bem o caricato e o extravagante com uma história honesta sobre valorizar o que realmente importa e que acaba sendo emocionante, até. É bobo e meio brega? Com certeza, mas essas também eram algumas das melhores qualidades do original. Se as Irmãs Sanderson te encantaram com o original, dificilmente você não vai gostar dessa sequência. No quesito diversão, ninguém faz melhor que as piores de Salem.



Abracadabra 2

Ano: 2022

Direção: Anne Fletcher

Elenco: Bette Midler, Kathy Najimy, Sarah Jessica Parker, Sam Richardson, Tony Hale, Doug Jones, Belissa Escobedo, Whitney Peak,Lillia Buckingham e Hannah Waddingham.


Abracadabra 2 respeita o legado do original e conta história muito divertida com as Irmãs Sanderson, marcada pelas atuações fantásticas de Bette Midler, Kathy Najimy e Sarah Jessica Parker.


Nota: 4/5

Comments


bottom of page