top of page
  • Foto do escritorFabrício Girão

Crítica: Malévola - Dona do Mal

Empenho e carisma de Jolie e Pfeiffer não são suficientes para redimir os erros da produção.

Divulgação/Walt Disney Studios

Malévola, de 2014, foi um dos poucos remakes em live-action da Disney que se permitiu mais liberdades em relação ao filme original para contar uma história diferente da que já conhecíamos. Uns gostaram, outros odiaram, mas o filme foi um sucesso inegável.

Para a sequência, a Disney escolheu explorar a relação de mãe e filha entre Malévola e Aurora, bem como a relação entre Moors e Humanos, agora que Aurora vai se casar com o Príncipe Philip. Olhando para a trama do filme, é possível perceber que ele apresenta ótimas ideias para o desenvolvimento dos personagens e se mostra muito esforçado em trazer um conteúdo inédito, o que é, como já disse, muito raro nos live-actions da Disney.


Só que na prática, poucas coisas que o filme se propõe a fazer dá certo. Algumas cenas e situações são incríveis e bem pensadas, como a cena do jantar, e outras são apressadas e mal desenvolvidas, E essa alternância entre ótimos e péssimos momentos faz o filme perder a força e sofrer com um ritmo inconstante.

O maior problema de Malévola: Dona do Mal é seu roteiro, que não consegue equilibrar todos os elementos apresentados na trama e muitas vezes opta por soluções muito fáceis. Ele ainda tenta fazer uma reflexão sobre preconceito e segregação utilizando o conflito Humanos x Moors mas não se aprofunda o suficiente e só apresenta uma discussão muito rasa.


Como esperado, Angelina Jolie e Michelle Pfeiffer são os grandes destaques do filme, mostrando um empenho visível em dar seu melhor como Malévola e Rainha Ingrith. Só que nem o grande talento e carisma das atrizes é capaz de redimir os erros da produção.


Ainda assim, o filme apresenta algumas qualidades, sobretudo técnicas. O figurino é o principal destaque, com uma variedade de visuais muito bem elaborados para cada personagem. O design de produção também encanta, com cenários exuberantes e detalhados. Por fim, os efeitos visuais melhoraram bastante se comparados aos do primeiro filme.


Divulgação/Walt Disney Studios

Malévola: Dona do Mal

Ano: 2019

Direção: Joachim Rønning

Elenco: Angelina Jolie, Michele Pfeiffer, Elle Fanning, Harris Dickinson e Chiwetel Ejiofor.


Malévola: Dona do Mal é cheio de boas intenções e ideias criativas, mas se perde na execução com um roteiro pobre e um ritmo estranho, que tornam o filme refém de uma alternância de momentos ótimos e péssimos.


Nota: 2,5/5




Comments


bottom of page